blau farmaceutica

Resultados surpreende apesar do impacto negativo das despesas financeiras devido ao hedge cambial

 

 

A Blau Farmacêutica S.A. (B3: BLAU3), indústria farmacêutica brasileira líder no segmento institucional focada na produção de medicamentos de alta complexidade para o segmento institucional, anunciou hoje (09) seus resultados consolidados para o 1º trimestre de 2022 (1T22), com sólidos indicadores e recuperação significativa de margens frente ao quarto trimestre de 2021. Focada na expansão da capacidade produtiva para viabilizar o crescimento futuro, a Companhia atingiu Receita Líquida de BRL 313 milhões no trimestre, com cerca de 5% da Receita do 1T22 proveniente de novos produtos desenvolvidos pelo Blau Inventta e não comercializados em 2021.

O Lucro Bruto atingiu BRL 161 milhões no período, com Margem Bruta de 52% (+9,6 p.p. vs. 4T21). O EBITDA totalizou BRL 115 milhões no trimestre, com Margem EBITDA de 37% (+10,8 p.p. vs. 4T21). Por fim, o Lucro Líquido atingiu BRL 61 milhões no período, com Margem Líquida de 20% (+7,0 p.p. vs. 4T21). Excluindo o impacto pontual da Despesa Financeira relacionada à posição em hedge cambial, o Lucro Líquido atingiria BRL 87 milhões, com Margem Líquida Ajustada de 28% (+15,4 p.p. 4T21).

"Em nosso primeiro ano após o IPO, entregamos resultados robustos e consistentes em todas as nossas frentes de atuação, demonstrando nossa resiliência e flexibilidade neste momento adverso de mercado. Estamos inseridos no segmento hospitalar de medicamentos de alta complexidade non-retail, que é um mercado que só cresce ao longo dos anos, e oferecemos medicamentos com alto nível de inovação e tecnologia para sempre estar à frente dos competidores", afirma Marcelo Hahn, CEO da Blau Farmacêutica.

Ainda sobre a Receita, a Unidade de Biológicos representou cerca de 56% do faturamento do período e apresentou crescimento de 5,5% mesmo com queda na Receita de Imunoglobulina em cerca de 80%; e as vendas de dermocosméticos e varejo cresceram 80%. Já as Operações Internacionais -- que excluem EUA -- cresceram mais de 90% em relação ao 1T21.

"A Blau demonstra a flexibilidade na comercialização de seu portfólio robusto neste trimestre, entregando resultados excelentes, com uma significativa recuperação de margens frente ao quarto trimestre de 2021. Ao longo do ano, temos previsto diversos lançamentos de novos medicamentos e mais disponibilidade de Imunoglobulina, que irão impulsionar ainda mais nossas vendas nos próximos trimestres", destaca Hahn.

 

Expansão da capacidade produtiva e Investimentos PD&I

A Blau segue investindo na ampliação de todas as unidades de produção de forma a atender, em curto espaço de tempo, a oferta reprimida e os medicamentos que estão sendo desenvolvidos pelo Blau Inventta.

No período, a Blau também investiu cerca de BRL 16 milhões em PD&I, representando 5% da Receita Líquida da Companhia, e segue com um pipeline robusto de novos produtos, com mercado endereçável que totaliza, atualmente, cerca de BRL 7,8 bilhões.

Segundo Hahn, no trimestre, a companhia submeteu 5 novos pedidos de registros de medicamentos, sendo 3 no Brasil, 1 no Chile e 1 no Peru, e obteve o registro de 7 novos medicamentos na América Latina (4 no Brasil, 2 no Uruguai e 1 no Chile), entre novos produtos e novas apresentações. "No Brasil, os 4 medicamentos que foram aprovados pela ANVISA possuem mercado endereçável total de aproximadamente BRL 300 milhões. Além disso, no mês de fevereiro lançamos o Sugamadex, medicamento reversor do bloqueio neuromuscular, que foi o primeiro genérico no Brasil autorizado pela Anvisa com cerca BRL 200 milhões de mercado endereçável. Sem dúvidas, esses investimentos são o grande diferencial da Blau neste mercado competitivo”, afirma.

A frente de negócios da Blau Farmacêutica nos Estados Unidos, Hemarus, segue em plena expansão. O 1º Centro, em LauderHill -- Flórida, já conta com licença do FDA (US Food and Drug Administration) e seu volume de coletas continua crescendo dentro do planejado -- atualmente em cerca de 35% da capacidade total. No trimestre, esse Centro registrou Receita de BRL 3,3 milhões. A obra do 2º Centro, também na Flórida, tem expectativa de inauguração no 4T22.